SP - 11 2305-9770

NOTÍCIAS

02/05/2018

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL PARA SARAMPO

O sarampo é uma virose aguda - um vírus com genoma RNA (paramyxovirus do grupo morbilivirus), grave, transmissível e extremamente contagiosa, caracterizada por febre, exantema e sintomas respiratórios, muito comum na infância. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções nasofaringes,expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. A transmissão pode ocorrer também por meio de gotículas com partículas virais dispersas em aerossol em ambientes fechados e mesmo públicos, como, por exemplo: escolas, creches, clínicas, e meios de transporte.

O vírus pode ser transmitido de quatro a seis dias antes, até quatro dias após o aparecimento do exantema (é uma erupção geralmente avermelhada que aparece na pele devido à dilatação dos vasos sanguíneos ou inflamação), sendo o período de maior transmissibilidade dois dias antes e dois dias após o início do exantema.

O diagnóstico laboratorial pode ser realizado por meio da sorologia para detecção de anticorpos IgM e IgG específicos. Os anticorpos específicos da classe IgM podem ser detectados no sangue, na fase aguda da doença, desde os primeiros dias até 4 semanas após o aparecimento do exantema. A presença de anticorpos da classe IgM indica infecção recente pelo vírus do sarampo. Os anticorpos específicos da classe IgG começam a aparecer logo após a fase aguda da doença, desde os primeiros dias e, geralmente, continuam sendo detectados muitos anos após a infecção.

Atualmente, a técnica mais utilizada para detecção de anticorpos é a técnica de ELISA, sendo considerada mais sensível e específico do que o teste de imunofluorescência indireta. A EUROIMMUN disponibiliza essa tecnologia através dos kits IgM ou IgG para Sarampo para comercialização.

Em 2016, o continente americano foi o primeiro do mundo a receber o certificado da Organização Pan-Americana de Saúde de que estava livre do sarampo, porém conforme anunciado pela OMS há um aumento do número de casos de sarampo no Brasil, especialmente nos estados de Roraima e Amazonas, que fazem fronteira com a Venezuela, país que ocupa o primeiro lugar na lista de casos confirmados. Segundo a entidade, o Brasil é o segundo na lista por causa do fluxo de imigrantes venezuelanos atravessando as fronteiras brasileiras.

Segundo a OMS e OPAS, a melhor forma de prevenção do Sarampo se dá através da vacinação, de modo manter uma cobertura homogênea de 95% com a primeira e a segunda dose da vacina contra sarampo, caxumba e rubéola em todos os municípios.