SP - 11 2305-9770

NOTÍCIAS

26/10/2018

Coleta em Papel Filtro, o novo lançamento da EUROIMMUN

A EUROIMMUN, cada vez mais investindo em inovação, incluiu recentemente a amostra sangue seco em papel filtro nos kits diagnósticos de doenças infecciosas.
São eles:

EUROIMMUN Brasil - Diagnóstico em Papel Filtro
 

O teste é combinado ao método comercial de ELISA para a detecção no plasma sanguíneo de anticorpos específicos para agentes patogênicos. A técnica consiste na coleta de sangue, proveniente da polpa digital ou de punção venosa, com deposição no papel filtro em área previamente demarcada. Após a chegada ao laboratório, a amostra de sangue é ressuspendida, e então processada pelos testes sorológicos padrões para cada investigação de infecção.

A performance dos estudos que utilizam amostras de sangue total impregnadas em papel-filtro apresentaram resultados compatíveis com aqueles obtidos nos ensaios sorológicos recomendados, apresentando sensibilidade e especificidade semelhantes aos métodos convencionais. Ressalta-se ainda que as amostras de sangue em papel-filtro podem ser secas em temperatura ambiente, não necessitam refrigeração, ocupam pouco espaço, podem ser facilmente transportadas e também utilizadas em locais onde há escassos recursos laboratoriais, solucionando dessa forma um grande problema logístico nacional.

O uso de sangue impregnado em papel-filtro é de grande valor para a realização de estudos epidemiológicos em áreas de difícil acesso em que a quantidade de sangue a ser coletado pode ser um fator limitante, embora a utilização de soro possa ser preferível em áreas com suficiente infra-estrutura.

Os laboratórios de referência estão nas capitais e amostras ficam em temperatura ambiente por mais de 30 (trinta) dias. O transporte em papel filtro garante condições ideais, uma vez que amostras de soro/plasma necessitam de refrigeração e tem estabilidade por um período máximo de 7 dias.